Documento sem título
Documento sem título
  
  
  
  
  
  
  
  Monarquia
Tire suas dúvidas
Símbolos
Núcleos Municipais
Uniformes Militares

 

 

Documento sem título



Notícias

“De tanto ver triunfar as nulidades...”, texto de Ruy Barbosa que merece ser lido na íntegra

Publicado em: 09/05/2011

Muitas pessoas que nunca leram completamente a página de Ruy Barbosa, na qual ele afirma “desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”, desconhecem a história toda em torno de suas colocações. Monarquista, Ruy, às vésperas da proclamação da república bandeou-se, como muitos, em favor desta inglória causa e depois arrependeu-se. Suas colocações dizem respeito exatamente às suas frustações com o novo regime de governo, em seguida à deposição do imperador D. Pedro II.
Divulgar este texto é uma tarefa dos monarquistas de nossos dias. Mas que seja em sua íntegra, tal como aqui se apresenta. Eis o que nos expõe seu autor:

“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto ... Essa foi a obra da República nos últimos anos.
No outro regime (Monarquia) o homem que tinha certa nódoa em sua vida era um homem perdido para todo o sempre - as carreiras políticas lhes estavam fechadas. Havia uma sentinela vigilante, de cuja severidade todos se temiam a que, acesa no alto, guardava a redondeza, como um farol que não se apaga, em proveito da honra, da justiça e da moralidade gerais.
Na República os tarados são os tarudos. Na República todos os grupos se alhearam do movimento dos partidos, da ação dos Governos, da prática das instituições. Contentamo-nos, hoje, com as fórmulas e aparência, porque estas mesmo vão se dissipando pouco a pouco, delas quase nada nos restando. Apenas temos os nomes, apenas temos a reminiscência, apenas temos a fantasmagoria de uma coisa que existiu, de uma coisa que se deseja ver reerguida, mas que, na realidade, se foi inteiramente.
E nessa destruição geral de nossas instituições, a maior de todas as ruínas, Senhores, é a ruína da justiça, colaborada pela ação dos homens públicos, pelo interesse dos nossos partidos, pela influência constante dos nossos Governos. E nesse esboroamento da justiça, a mais grave de todas as ruínas é a falta de penalidade aos criminosos confessos, é a falta de punição quando se aponta um crime que envolve um nome poderoso, apontado, indicado, que todos conhecem ..."

(Ruy Barbosa - Discursos Parlamentares - Obras Completas
 Vol. XLI - 1914 - TOMO III - pág. 86/87)


Documento sem título

 
www.setor3consultoria.com.br
by Orbitaltec